sem fins Lucrativos Lei Blog

Uma organização sem fins lucrativos organizada e operada para fins de caridade, pode ser isento sob a Seção 501(c)(3) do Código da Receita federal, enquanto uma organização sem fins lucrativos organizada e operada para o bem-estar social podem ser isentos sob a Seção 501(c)(4) do Código. Somos frequentemente questionados sobre a diferença entre os Termos “caridade” e “bem-estar social” e por que uma organização escolheria ser descrita como uma sobre a outra.,parece que um propósito caritativo e um propósito de bem-estar social seriam muito semelhantes, e de fato há uma sobreposição substancial em seus significados. No entanto, Existem grandes diferenças entre 501(C) (3) organizações e 501 (C) (4) organizações que causam um propósito de bem-estar social a ser interpretado de forma mais expansiva, permitindo no seu significado fins caritativos e outros fins de benefício público que podem ficar um pouco aquém do significado de caridade. Caridade, por favor., A principal razão para a definição mais discriminatória de caridade é devido à dedutibilidade das contribuições para a maioria das organizações 501(C)(3), mas (geralmente) não para 501(C)(4) organizações.as organizações estão isentas de impostos sobre o rendimento federal sobre os rendimentos obtidos ou obtidos relacionados com os seus fins isentos. De um modo geral, uma startup sem fins lucrativos (que não uma igreja) deve solicitar uma isenção ao abrigo do n. o 3, alínea c), do artigo 501.o, preenchendo o Formulário 1023 ou o Formulário 1023-EZ junto do IRS., Em contraste, uma organização sem fins lucrativos podem (1) candidatar-se formal de IRS de reconhecimento de isenção, nos termos 501(c)(4) mediante a apresentação de Formulário de 1024 ou (2) a auto-declarar-se como isento, nos termos 501(c)(4). Em qualquer dos casos, a organização sem fins lucrativos deve notificar a IRS no prazo de 60 dias após o seu estabelecimento da sua intenção de operar como uma organização 501(C)(4) através do formulário de depósito electrónico 8976.a angariação de fundos e a dedutibilidade das contribuições, como acima referido, são elegíveis para receber contribuições de caridade dedutíveis.,petição (mas somente se nenhuma parte de suas atividades envolvem o fornecimento de instalações esportivas ou equipamentos), ou para a prevenção da crueldade contra crianças ou animais;
(C) nenhuma parte do lucro líquido que tem efeito para o benefício de qualquer acionista privado ou individual; e
(D) que não está desqualificado para isenção de imposto de acordo com a seção 501(c)(3) por motivo de tentar influenciar a legislação, e que não participa, ou intervir (incluindo a publicação ou distribuição de declarações), qualquer campanha política a favor de (ou em oposição a) qualquer candidato a cargo público.,as principais diferenças entre a secção 170 (C) (2) e a secção 501(C) (3) são a exigência, na primeira, de que a entidade seja criada ou organizada nos Estados Unidos e a ausência, na primeira, de um “teste para a segurança pública”. Por conseguinte, um contribuinte não podia deduzir uma contribuição caritativa por uma doação a uma organização estrangeira 501(C)(3) ou a uma organização doméstica 501(C)(3) cuja finalidade isenta é testar a segurança pública.,também é importante notar que uma contribuição para uma organização 501(C)(3), também descrita em 170(C)(2), não será dedutível se for destinada a lobbying.as contribuições para 501 (C) (4) organizações não são geralmente dedutíveis, com excepções limitadas para certas contribuições para empresas de Bombeiros Voluntários e organizações de veteranos de guerra. Além disso, uma organização 501(C)(4) não abrangida por tais exceções deve divulgar, em qualquer solicitação de angariação de fundos, que as contribuições para a organização não são dedutíveis para fins de imposto federal de renda como contribuições de caridade., A divulgação deve ser expressa num formato conspícuo e facilmente reconhecível. Certos pagamentos a 501 (C) (4) organizações podem ser dedutíveis como despesas comerciais ou de negócios, se ordinários e necessários no exercício da atividade do contribuinte.501(C) (3) as instituições de caridade públicas podem exercer actividades de lobbying desde que tais actividades não sejam substanciais em relação às suas actividades globais. Apesar de tal restrição, as instituições de caridade públicas podem se envolver em níveis generosos de lobby sem que seja considerado substancial se eles fazem a eleição 501(h)., 501 (C) (3) as fundações privadas não são geralmente autorizadas a participar em lobbying, mas podem financiar doações com apoio geral que os beneficiários decidem usar para lobbying. 501(C) (3) as organizações muitas vezes descartam sua capacidade de se envolver em atividades substanciais relacionadas à defesa de interesses, incluindo a defesa de questões, drives de saída e registro de eleitores. Acreditamos que a Advocacia é muitas vezes uma ferramenta crítica que os conselhos de administração devem considerar como uma maneira potencial para o avanço mais eficaz e eficiente da missão de sua organização.,501 (C) (4) as organizações podem exercer pressões ilimitadas para promover os seus objectivos de bem-estar social.as organizações estão proibidas de participar em quaisquer actividades de intervenção de campanha política.501 (C) (4) as organizações podem participar em actividades de intervenção de campanha política, desde que essas actividades não representem a sua actividade principal., Interpretando a limitação com uma tolerância de alto risco, cerca de 501 (C) (4) organizações gastam 49% de seus recursos em eleitoralismo e afirmam que, como 51% de suas atividades estão em prol do seu propósito de bem-estar social isento, eles são principalmente operados para a promoção do bem-estar social.,

finalidade

os fins isentos ao abrigo de 501(C) (3) são: religiosos, caritativos, científicos, testes para fins de segurança pública, literários ou educacionais, ou para promover a competição desportiva nacional ou internacional amadora (mas apenas se nenhuma parte das suas actividades envolver o fornecimento de instalações ou equipamento de desporto), ou para a prevenção da crueldade para com crianças ou animais. Já escrevemos anteriormente sobre o que constitui “caridade” sob 501(C)(3) aqui (iniciando uma sem fins lucrativos), aqui (ambiental), aqui (desenvolvimento econômico), e aqui (artes)., Sobre o teste operacional que cada 501(c)(3) organização deve passar, os regulamentos prevêem:

Uma organização será considerado como operado exclusivamente para uma ou mais isenta meramente informativo, se envolve, principalmente, em atividades que realizar um ou mais de tais isentos fins especificados na seção 501(c)(3). Uma organização não será considerada como tal se mais do que uma parte substancial das suas actividades não for favorável a um objectivo isento.,

a finalidade isenta para a forma mais comum de 501(C)(4) é a promoção do bem-estar social. Os regulamentos estabelecem:

Uma organização é operado exclusivamente para a promoção do bem-estar social, se ela é, essencialmente, na promoção de alguma forma o bem comum e o bem-estar geral das pessoas da comunidade. Uma organização abraçada dentro desta seção é uma que é operada principalmente com o propósito de trazer melhorias cívicas e melhorias sociais.,

É importante notar que uma organização 501(c)(3) organização é expressamente proibidos de se envolver em mais de uma substancial quantidade de atividades em prol de seus isento finalidade. Por outro lado, uma organização 501(C)(4) pode desenvolver mais do que uma quantidade substancial de actividades que não contribuem para o seu objectivo isento, desde que se empenhe principalmente na promoção do bem comum e do bem-estar social dos cidadãos da comunidade., O limite mais generoso de actividade não isenta permitido a um 501 (C) (4) explica por que razão uma organização 501(C) (4) pode envolver-se em quantidades substanciais de actividades de intervenção política de campanha, embora os regulamentos deixem claro que tais actividades não constituem a promoção do bem-estar social.,comparação de 501(C)(3) e 501(C)(4) atividades permitidas (Aliança para a justiça, Defesa ousada) comparação de 501(C)(3)s, 501(C)(4)s, e organizações políticas (Aliança para a justiça, Defesa ousada) 501 (C) (4) California nonprofit step by step(nonprofit law blog)

when should a 501 (C) (3) consider creating an affiliated 501(C) (4)? (Blog de Direito sem fins lucrativos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *